Promotoria pede retorno do programa dos agentes de proteção em Mossoró



O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) solicitou ao Poder Judiciário a retomada do programa local dos agentes judiciários de proteção em Mossoró. O pleito surgiu após instauração de inquérito no âmbito da 12ª Promotoria de Justiça para investigar a aparente desmobilização do serviço. 

Até o presente momento, foi apurado que o programa tem enfrentado dificuldades para funcionar, pois está sem suporte adequado. Não há logística (desde espaço físico para reuniões, veículo para transporte e material de divulgação) e pessoal (há carência ainda de capacitações continuadas).

Em paralelo, o pleito também foi reforçado pelos Conselhos Tutelares de Mossoró, que se dirigiram à unidade ministerial para pedir o apoio do MPRN na retomada do programa dos agentes judiciários de proteção.

Entre as consequências da desmobilização do serviço mencionado, está a queda do número de autos de infração lavrados na cidade. “O trabalho dos agentes de proteção constitui-se um serviço público relevante especialmente na cidade que é um polo universitário, tendo muitos estabelecimentos com eventos voltados especificamente para o público infantojuvenil”, observou o 12º promotor de Justiça da comarca, Sasha Alves do Amaral.

O representante ministerial destacou que as multas aplicadas pelos agentes são depositadas no Fundo da Infância e da Adolescência (FIA) – que serve para financiar os projetos para a defesa e promoção de direitos de crianças e adolescentes.

A retomada do programa não implica custos elevados para o Judiciário, uma vez que os agentes trabalham de maneira voluntária. A logística necessária diz respeito a assegurar para esses voluntários transporte para os eventos a serem fiscalizados (com motorista do Poder Judiciário); alimentação (caso a fiscalização ultrapasse três horas de duração); fornecimento gratuito de identificação dos agentes (coletes e crachás); acesso a computadores e impressoras para a confecção dos relatórios e autuações; pranchetas, canetas, formulários padronizados de autuação e notificação, entre outros; telefone celular para a imediata comunicação com os juízes e promotores de plantão (além das polícias Militar e Civil, do Conselho Tutelar e do Samu); sala para reunião da equipe dos agentes de proteção; capacitação periódica e caso necessite, lançamento de novos editais para cadastramento de novos voluntários.
Promotoria pede retorno do programa dos agentes de proteção em Mossoró Promotoria  pede retorno do  programa dos agentes de proteção em Mossoró Reviewed by ROTA190 on março 10, 2018 Rating: 5

Nenhum comentário

Sports